12/12/2008



Who are you Blackbird?



Feito de luz;
Manchado em negro…
Traçado de homem;
Delineado em trevas…
Braços de morte;
Penas de silêncio…
Face de anjo;
Bico de desespero…
Caminhando em pernas de homem;
Voando em imaginação…
Sofrendo em pássaro,
Chorando como homem;
Porque o homem não chora!

Quem és Blackbird?
Desespero de um menino
Que forçosamente teve de crescer?
Ou desespero de um homem,
Que aprendeu a amar?
És mais uma palavra,
Que solta no vento se perdeu…
Mais um olhar de soslaio;
Para um infinito feito de nada.
Lágrima apodrecida,
No canto do olho de ninguém…
És mais uma de mil máscaras
De um sofrimento sorridente
De um homem que não sabe;
Mas fantasia voar…

Quem és tu,
Espelho negro de um desconhecido?
Perdeste há muito em ti próprio
Esqueceste o sabor do sol nas feições
Abandonaste as memórias
Quiseste ser de novo algo que nunca foste…
Ficaste frio, só!
Criaste um mundo à tua volta,
Caminhando nele sem rumo…
Até que parado pasmaste
Sem saber onde estavas…
Estás perdido!
E mais do que nunca, já não és tu!...
Então quem és?...


Sem comentários: