03/07/2008

Mulher de negro


Promete-me que quando for uma estrela
Lá bem no cimo do céu
Irás cantar para mim
Só para mim
Em cada noite de luar…
Deste único dia
Que é a morte…
E que irás prender o mundo
Para te ouvir cantar…
E quando tudo estiver
Mergulhado num silêncio absoluto
Tentarão perceber
O som de um murmúrio…
Talvez um poema…
Feito de amor
E cantado em gritos de dor!...
Promete-me…
Promete-me que nunca me abandonarás
Naquele plácido sítio onde repousarei…
Com toda a minha glória
Para toda a eternidade
Que não deixarás as silvas
Corromper a minha última morada
Promete-me que irás beijar o meu espírito…
Que te ouvirá cantar…
Nas noites de dor e luar…
Promete-me que vais consolar os que amo
Com a esperança que não tens…
Que os irás abraçar
Quando se sentirem nus no frio da noite
E dir-lhes-ás
Que em toda a minha vida
Tentei ser Poeta…
Emergir da minha própria invisibilidade.
Mas que simplesmente eu!...
Homem!...
Falhei!...
Promete-me…
Mulher…de negro!

4 comentários:

rita disse...

i am mesmorized...are these images yours?

rita disse...

Thank you blackbird....
your words are most beautiful.

R

rita disse...

I am also waiting in anticipation for more..........

dany disse...

E' dos melhores poemas que já escreveste até entao.